Elmord's Magic Valley

Software, lingüística e rock'n'roll. Às vezes em Português, sometimes in English.

Yeah, I code-switch heavily

2014-11-02 02:31 -0200. Tags: lang, life, ramble, em-portugues

Semana passada eu resolvi ir no Verda Kafo (evento esperantista que ocorre no último sábado de todo mês em Porto Alegre), depois de alguns meses de sumiço. Um verdkafano perguntou como ia o meu mestrado, e o Marcus mencionou que o meu blog tinha a resposta. A pedidos, eu passei a URL para ele e mais um dos participantes. Foi só algumas horas depois disso que eu pensei "bá, vão me encher o saco no próximo Verda Kafo por causa das frases em inglês strewn in no meio dos textos", mas aí já era tarde.

Esse fenômeno de alternar entre línguas em um mesmo diálogo ou em uma mesma frase é denominado code-switching.* O artigo da Wikipédia menciona uma porção de explicações sociológicas de por que as pessoas code-switcham. No meu caso, entretanto, for most part, acho que nenhuma das explicações apresentadas se encaixa. Eu simplesmente acho mais fácil dizer algumas coisas em inglês, às vezes porque a sintaxe do termo em inglês é diferente, às vezes sem nenhum motivo aparente. A grande maioria das coisas que eu leio são em inglês, e eu passo boa parte do meu tempo lendo, então acho que não é de admirar. Em tempos de outrora, quando eu estava aprendendo esperanto e o usava com mais freqüência, era bastante comum eu achar mais fácil dizer algumas coisas em esperanto do que em português, primariamente graças ao sistema de composição e derivação supimpa (eu ainda uso "X-ilo" ocasionalmente, onde X é uma palavra em português ou em esperanto, para me referir ao "utensílio de fazer X"), mas às vezes também porque a minha cuca queria dizer alguma coisa com uma estrutura sintática e o português exige outra. Um exemplo "clássico" disso com o inglês são frases como she was named after a tree, que eu nem tenho certeza de como dizer em português ("ela foi nomeada segundo uma árvore" doesn't quite cut it (como se diz "doesn't quite cut it" em português?)).

Poder-se-ia alegar que isso representa a decadência do português e o efeito do imperialismo estadunidense. Eu não sei. Em primeiro lugar, a identidade da língua portuguesa está bem saudável, já que são poucos os falantes de português que fazem code-switching. Em segundo lugar, assim como eu acho mais fácil dizer certas coisas em inglês, há uma porção de outras coisas que eu acho mais fácil dizer em português. Acontece simplesmente que, nas situações em que meus interlocutores falam tanto português quanto inglês, a conversa se dá primariamente em português (evidentemente), então é raro eu ter a oportunidade de falar inglês com frases em português strewn in. (Cabe notar que eu só atravesso termos em inglês quando eu sei que o interlocutor os há de entender, já que, imaginem vocês, comunicação exige entendimento entre as partes. Porém, em alguns casos eu tenho que fazer um esforço extra para dizer certas coisas em português ao invés de falar da maneira que me é mais confortável.)

Por fim, enquanto eu estava ideando este post, eu pensei comigo mesmo: "Seriously, tu tá te justificando pela maneira como tu escreve no teu próprio blog? Que diabos é isso, um blog de gente se explicando?" Não era nem para eu ter que escrever isso (de fato, eu não tenho que escrever isso), mas enfim.

_____

* Segundo o artigo, o uso de múltiplas línguas na escrita é chamado de linguagem macarrônica, mas aparentemente o termo é mais usado para descrever certas formas literárias em que a mistura tem algum propósito especial, freqüentemente humorístico. No caso aqui do blog, entretanto, geralmente o meu uso de inglês atravessado no meio do texto simplesmente reflete a maneira como eu falo quando sei que o interlocutor entende ambas as línguas. No geral, eu tendo a fazer isso mais nos posts mais "pessoais" e menos nos posts mais informativos. Acho.

Comentários / Comments (7)

Marcus Aurelius, 2014-11-02 15:09:24 -0200 #

Eu também acho que não precisava ficar se explicando. A menos que tivesse algo muito importante para se explicar. O que não é o caso. Mas poderia ser, dependendo do referencial. O que eu quero dizer é que...


Vítor De Araújo, 2014-11-02 21:13:29 -0200 #

@Marcus: De qualquer forma, alguém poderia se interessar pelo assunto de code-switching. :P


Lorem, 2014-11-13 01:41:07 -0200 #

"she was named after a tree": "ela foi nomeada em homenagem a uma árvore" (apesar de que "nomeado em homenagem a" me soa solene demais para essa frase em particular, pode ser que fizesse mais sentido se fosse usado em, digamos, "she was named after her grandmother". Talvez "o nome dela vem de uma árvore" seja o mais adequado).

"doesn't quite cut it": meio que não fecha com


John Gamboa, 2014-11-18 19:57:50 -0200 #

Agora que eu tenho passado 90% do meu tempo falando em inglês -- ultimamente não tenho mais passado quase nenhum tempo com brasileiros e aí o inglês tomou o lugar de língua padrão [tenho sonhado em inglês, o que me é bem bom] --, eu tenho percebido que eu de vez em quando até que quero code-switch pro português pra dizer algumas coisas (e daí eu não posso, porque as pessoas com quem eu to falando não vão entender).

Por exemplo...

(1) Em pt, se eu combino contigo de me encontrar em algum lugar em uma certa hora e, chegando lá, tu não aparece, eu te mando uma mensagem dizendo só "cadê?" (ou, "kd"). Em inglês não fica bonito =/

(2) Como se diz "tôca" (não capuz... toca, aquelas pro frio) em inglês? Eu passei um tempão tentando achar a palavra apropriada =/

(3) Tão tendo umas construções no centro da cidade e o ônibus tem chegado atrasado aqui (para o delírio dos alemães). Perguntado sobre o motivo, eu disse que achava que era por causa das "obras". Como se traduz "obra"? [a gente tem dito "constructions" no fim das contas =/ ]

(4) Em alemão, eles tem a expressão "fragen kostet nichts" (perguntar custa nada); mas essa não é bem uma boa tradução pra "perguntar não ofende". Eu sempre acabo tendo de dizer que "we have this expression in portuguese: asking doesn't offend".

(5) Como é que eu digo que esperava que algo "durasse" mais? Em alemão eles têm "dauern" (que tu usa como "vai custar umas 3h pra isso acontecer" ou "o evento vai durar 3h"); mas como se diz isso em inglês? Eu outro dia quis dizer que "esperava que a festa fosse 'durar' mais", e, depois de deixar a minha interlocutora olhando com cara de "what the fuck is he trying to say anyway?" por uns 10 segundos, eu acabei dizendo que "expected the party to finish later"... i.e., tomei um "desvio" (eu depois expliquei pra ela que eu "took a detour to say what I wanted to say").

Enfim... acontece o tempo todo de eu querer dizer algo e achar que a versão em pt é mais conveniente. Mesmo a em alemão: Hauptbahnhof é bem melhor que "Main train station".

Tá tá... já escrevi demais xP


Vítor De Araújo, 2014-11-18 20:18:22 -0200 #

(5) "to last longer".

Não sei das demais (mas eu seria capaz de usar "whither?" (as in "whither hast thou gone?") pra (1) só for the lol :P).

E escrever por aqui nunca é demais. Esteja à vontade. :P


Lorem, 2014-11-19 21:29:11 -0200 #

@John Gamboa

(2) Uma canadense me disse que chama isso de "beanie". Anyway, http://en.wikipedia.org/wiki/Knit_cap.


Marcus Aurelius, 2014-11-20 05:16:23 -0200 #

Falando nisso, como é "take for granted" em português? Perdi a conta de vezes que precisei disso e nunca ficou tão "sonoro" quanto eu gostaria.


Deixe um comentário / Leave a comment

Main menu

Posts recentes

Comentários recentes

Tags

em-portugues (213) comp (137) prog (68) in-english (50) life (47) pldesign (35) unix (34) lang (32) random (28) about (27) mind (25) lisp (23) mundane (22) fenius (20) ramble (17) web (17) img (13) rant (12) hel (12) privacy (10) scheme (10) freedom (8) copyright (7) bash (7) music (7) academia (7) lash (7) esperanto (7) home (6) mestrado (6) shell (6) conlang (5) emacs (5) misc (5) latex (4) editor (4) book (4) php (4) worldly (4) android (4) politics (4) etymology (4) wrong (3) security (3) tour-de-scheme (3) kbd (3) c (3) film (3) network (3) cook (2) poem (2) physics (2) wm (2) treta (2) philosophy (2) comic (2) lows (2) llvm (2) perl (1) en-esperanto (1) audio (1) old-chinese (1) kindle (1) german (1) pointless (1) translation (1)

Elsewhere

Quod vide


Copyright © 2010-2020 Vítor De Araújo
O conteúdo deste blog, a menos que de outra forma especificado, pode ser utilizado segundo os termos da licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International.

Powered by Blognir.