Elmord's Magic Valley

Software, lingüística e rock'n'roll. Às vezes em Português, sometimes in English.

Mandando o processador/fan se acalmar

2012-05-12 01:03 -0300. Tags: comp, unix, mundane, em-portugues

Antes de destruir a máquina à minha frente e morrer de desgosto, compartilho com vocês o que eu descobri tentando fazer o cooler do PC parar de fazer barulho de espremedor de laranja.

Algumas máquinas permitem controlar a velocidade do fan, por meio dos arquivos pwm1 e pwm1_enable nos diretórios/sys/class/hwmon/hwmon*. echo 1 >pwm1_enable habilita o controle do fan por software (ao invés de deixar o firmware trabalhar sozinho), e echo N >pwm1, onde N costuma ser um valor entre 0 e 255, controla a velocidade do fan. No EeePC, a configuração funcionava temporariamente até o firmware resolver que era melhor que o OS e ligar o fan de novo; para desligar o fan, era necessário então setá-lo de novo para a velocidade máxima e de volta para zero (ou o valor que se quisesse; o EeePC só tinha o modo "ligado" e "desligado" por software, entretanto). Os arquivos se chamavam fan1 e fan1_enable no kernel 2.6.159265358979 e anteriores.

Outras máquinas não têm suporte ao PWM, mas possuem alguns controles interessantes nos diretórios /sys/class/thermal/cooling_device*. Cada um desses diretórios contém, entre outros, os arquivos: type, que diz o tipo do dispositivo em questão; cur_state, o estado atual do dispositivo; e max_state, o valor máximo que o estado pode assumir. Na máquina que estou usando agora (um Toshiba Satellite de uns cinco ou seis anos atrás), aparecem cinco dispositivos dos seguintes tipos:

# grep '' /sys/class/thermal/cooling_device*/type
/sys/class/thermal/cooling_device0/type:Processor
/sys/class/thermal/cooling_device1/type:Processor
/sys/class/thermal/cooling_device2/type:Fan
/sys/class/thermal/cooling_device3/type:LCD
/sys/class/thermal/cooling_device4/type:LCD

Você pode dar echo N >/sys/class/thermal/cooling_devicex/cur_state para alterar o estado do dispositivo.

Nesta máquina, o estado do fan fica sempre em 1 (ligado), e o valor não pode ser alterado. Os processadores/cores, porém, possuem um estado padrão 0 e um valor máximo 7; alterando esse valor, os processadores diminuem de velocidade, conseqüentemente aquecendo menos (e possivelmente gastando menos bateria, mas não cheguei a testar). Com um core desativado e o outro no estado máximo de economia, a máquina levou uns dez minutos para subir a temperatura (verificável em /sys/class/hwmon/hwmon*/temp*_input) de 50 a 80 graus (versus um minuto com dois cores no estado normal).

Outra regulagem de freqüência que pode ser feita independentemente é através do cpufreq. cpufreq-info mostra a freqüência atual e a "política de freqüência" em vigor. As configurações podem ser alteradas com cpufreq-set: cpufreq-set -c 0 -u 1G seta a velocidade máxima do core 0 para 1GHz, por exemplo. (Cada modelo de processador aceita apenas certos valores de freqüência; este aqui, por exemplo, aceita 1GHz, 1.33GHz e 1.66GHz. O cpufreq seleciona o valor mais próximo que satisfaz o limite de velocidade especificado, ou retorna um erro.)

Mais uma coisa: é possível desligar um core executando echo 0 >/sys/devices/system/cpu/cpuN/online (e reativá-lo trocando 0 por 1). Não testei o que acontece mandando desligar todos.

Se sua máquina é capaz de ligar e desligar o fan, o que você pode fazer é criar um script para ligar o fan sempre que a temperatura passar de um certo limite (e.g., 80 graus) e desligá-lo quando ela voltar a uma temperatura baixa (e.g., 50 graus). Assim, você só vai ter que ouvir o fan de vez em quando. Na verdade, aparentemente existe um pacote chamado fancontrol que faz basicamente isso. Aqui, entretanto, o fan tem vontade própria e escolhe a velocidade que quer; para pará-lo, tive que impedi-lo de girar. A máquina esquenta igual, apenas mais devagar, com as configurações alteradas, o que não me resolve nada. Obviously it is Allah's will that I throw the Unix box out the window. I submit to the will of Allah.

P.S.: Não, o Unix não tem nada que ver com o problema.

P.P.S.: Aparentemente leitores prospectivos do blog esperam alguma coisa mais interessante da tag mundane. Ela apenas marca os posts sobre "arrumar PC" (i.e., o que sua família pensa que você faz quando diz que estuda Ciência da Computação) e resolução de problemas de mortal (por oposição aos posts sobre programação, por exemplo). Além disso, há uma tag mundane e uma worldly, completamente não-relacionadas, embora as palavras sejam sinônimos. There are no rules anywhere. The Goddess Prevails.

Comentários / Comments (0)

Deixe um comentário / Leave a comment

Main menu

Posts recentes

Comentários recentes

Tags

em-portugues (213) comp (138) prog (68) in-english (51) life (47) unix (35) pldesign (35) lang (32) random (28) about (27) mind (25) lisp (23) mundane (22) fenius (20) web (18) ramble (17) img (13) rant (12) hel (12) privacy (10) scheme (10) freedom (8) bash (7) copyright (7) music (7) academia (7) lash (7) esperanto (7) home (6) mestrado (6) shell (6) conlang (5) emacs (5) misc (5) latex (4) editor (4) book (4) php (4) worldly (4) politics (4) android (4) etymology (4) wrong (3) security (3) tour-de-scheme (3) kbd (3) c (3) film (3) network (3) cook (2) poem (2) physics (2) wm (2) treta (2) philosophy (2) comic (2) lows (2) llvm (2) perl (1) en-esperanto (1) audio (1) german (1) kindle (1) old-chinese (1) pointless (1) translation (1)

Elsewhere

Quod vide


Copyright © 2010-2020 Vítor De Araújo
O conteúdo deste blog, a menos que de outra forma especificado, pode ser utilizado segundo os termos da licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International.

Powered by Blognir.